Reagentes limitantes em uma reação

O experimento consiste  em adicionar massas diferentes de bicarbonato de sódio em vinagre em sistemas fechados com balões de borracha acoplados. 

Observa-se o volume do balão referente a cada sistema após a reação, iniciada quando as massas de bicarbonato de sódio são despejadas nos frascos contendo vinagre.

Procedimento ( Como fazer):

- Coloque uma colher de chá rasa de bicarbonato de sódio em cada balão. 

- Use um funil ou um pedaço de papel enrolado em forma de funil,( ou algum outro método eficaz)  para ajudar a transferir o bicarbonato de sódio para os balões.

- Identifique as garrafinhas  de 1, 4, 7 e 10.

- Coloque uma colher de chá de vinagre no recipiente rotulado com o número 1, 4 colheres de chá em um recipiente rotulado com o número 4, 7 colheres de chá no recipiente rotulado com o número 7 e 10 colheres de chá em um recipiente com o número 10. 

- Coloque um balão no topo de cada recipiente. 

Rode o balão de forma que todo o bicarbonato de sódio caia para o recipiente.

Observar as variações, referentes à liberação de CO2 gasoso decorrentes da reação química entre o bicarbonato de sódio NaHCO3 sólido com o ácido acético (CH3COOH) do vinagre.

NaHCO3 + CH3COOH → CO2 + CH3COONa + H2O

 

quimica-01
quimica-02
quimica-03
quimica-04
quimica-05
quimica-06
quimica-07
1/7 
start stop bwd fwd

Atividade Química EAD realizada com as 2ª séries
Professora Coordenadora Carmen Lau Segato

 

 

A Educação Especial na perspectiva inclusiva em tempo de pandemia

Alunos da Educação Especial, com deficiência, transtorno global de desenvolvimento e altas habilidades / superdotação, contam também coma a Educação Inclusiva. E apesar do isolamento social devido ao coronavírus, também estão sendo atendidos em casa, da melhor forma possível.

Infelizmente, muitos alunos da Educação Especial, sofrem discriminações, sendo que o motivo são suas “diferenças” em relação a alunos “normais”. A Educação Inclusiva vem ao encontro destes alunos especiais, combatendo estas discriminações, também dentro das escolas, onde ocorrem muitos atos de preconceito, e onde as diferenças devem ser superadas. A Educação Inclusiva vem para assegurar o acesso, a participação e aprendizagem, inclusive com continuidade nos níveis mais elevados do ensino, de alunos com os mais diversos tipos de deficiência, garantindo sua educação em escolas regulares, atendimento Educacional Especializado (AEE), participação da família e da comunidade, e a acessibilidade, mobilidade e equipamentos nos transportes, na comunicação e informação. A Educação Inclusiva reforça a formação de professores para atuarem na educação especializada.

A Educação Especial também pensa no cotidiano de seu público-alvo, e juntamente com o sistema educacional inclusivo procuram uma parceria com outras áreas, permitindo assim qualidade de vida em setores como o da saúde, assistência social, acessibilidade arquitetônica, entre outros.
Pessoas com necessidades especiais têm todo o merecimento a estes direitos e ajustes, pois também querem e devem viver com dignidade e respeito, sentindo-se bem e à vontade onde quer que estejam, sendo incluídas na comunidade em que vivem.

A Educação Especial e Inclusiva, neste momento de pandemia, está, através da tecnologia, alcançando os alunos especiais em suas casas. A internet é um excelente meio para contatar pais e alunos, seja via email, Google classroom, hangoust, meet, whatsapp. O problema é que muitos destes alunos não podem se beneficiar de tais meios, devido às barreiras digitais nos websites, por não possuírem tecnologia ou ainda por não terem acesso à internet. Para aqueles que apresentam estas dificuldades, outros métodos são encontrados, como retirar material impresso na própria escola. As atividades devem estar adequadas e serem prazerosas não somente para alunos, mas também para familiares, que auxiliam seus filhos nas tarefas, levando em conta que também podem apresentar alguma deficiência, ou serem analfabetos, por exemplo. Assim as atividades devem conter desenhos, jogos, brincadeiras, sendo criativas, desenvolvendo habilidades, coordenação, raciocínio lógico matemático, atenção, concentração e habilidades de vida diária. É preciso fazer o monitoramento do atendimento às pessoas com deficiência (física, mental, intelectual ou sensorial) para que elas tenham acesso aos conteúdos.

São necessárias neste momento, a colaboração, união e dedicação de todos os responsáveis para que estas pessoas portadoras de necessidades especiais sejam assistidas da melhor maneira possível. E pelo que se vê, todos estão se empenhando para que as barreiras sejam transponíveis.

Sendo assim, pode-se constatar a importância da Educação Especial e da AEE na vida e desenvolvimento de pessoas especiais. A inclusão dos mesmos na Educação Especial ajuda-os a aprender, socializar, alcançar melhoras em seu quadro clínico e sentirem-se cada vez mais como membros da sociedade. A partir do que já foi mencionado, conclui-se que é sim possível atendê-los em suas casas e fornecer educação de qualidade, mesmo com todas as dificuldades.

Ana Carina Menegati
Turma 302 Magistério

Professora Francielle de Souza

Como adaptar e transformar a educação inclusiva aos dias de hoje?

Em nossa atual realidade, nos deparamos com desafios ainda maiores do que o comum, a educação passa por uma turbulência de ambas as partes, tanto alunos quanto professores estão se dedicando para alcançar o objetivo de aprender e estudar. Porem nem todo aluno tem internet e amparo, mas principalmente, nem todo aluno escuta, fala, enxerga, se locomove, mas, esse aluno também tem objetivos educacionais, ele também que aprender e compreender como os demais, mas sem seu segundo professor, interprete e amigos, como ele conseguirá facilitar seus estudos? Como o professor pode auxiliar? Como a família pode amparar?

A nossa força de vontade é excepcional para que possamos chegar em algum lugar, os alunos especiais possuem ainda mais essa garra e vontade, graças as mudanças constantes em leis, orientações e práticas pedagógicas eles conquistaram o direito de frequentar o ensino regular, e com essa experiência que seria para convivência muitas vezes, nesse momento ela se tornou fundamental, pois esse contato que já tiveram com a sala de aula faz com que consigam ter uma noção de como realizar as atividades, como questionar e com aprender sozinho de certa forma, sendo assim esse aluno conseguira compreender o que está acontecendo e como ele poderá facilitar seu processo de ensino.

As atividades pedagógicas neste momento exigem um pouco mais de elaboração, como vou repassar os conteúdos para um aluno que até certo momento tinha o meu auxílio e do professor de forma presente? A criatividade e flexibilidade dos professores são postas a prova para que consigam articular atividades para esses alunos, trabalhos manuais, desenhos, mapas mentais são ferramentas de excelentes resultados, pois são fáceis de compreender e são muito articuláveis, podendo atender a toda e qualquer especificidade de acordo com a exigência ou situação que se faz necessária. E temos também a disposição meios de tecnologias para a nossa facilidade de comunicação, por vídeos, imagens e áudios, podemos amparar os nossos alunos e sanar suas dúvidas.

Mas nosso principal meio de amparo e comunicação também é a família, pois será eles que auxiliaram o aluno a desenvolver as tarefas de modo presencial, sendo assim conversas, matérias e informações também podem ser mandadas a eles para que consigam acompanhar o professor e compreender as proposta feita por ele, para que não haja desentendimentos e possíveis complicações, a educação nunca precisou tanto da presença e disposição dos pais quanto agora, então devemos de forma conjunta zelar pela educação dos nossos educandos e filhos.

Nathalia Helen Dahmer
Turma 301

Professora Francielle de Souza